A Mudança nos Costumes

. terça-feira, 17 de novembro de 2009




Parecia que a civilização inteira se ia afundar. O meu pai, que já se via obrigado a recorrer ao capital que havia amealhado para podermos viver, achava que a humanidade estava condenada à ruína. Para ele, a grande ameaça era o perigo vermelho: não tardaria que dos confins da terra e da escumalha da sociedade se levantasse uma nova barbárie; a revolução precipitaria o mundo no caos.




Simone de Beauvoir, Memórias de uma rapariga bem comportada, 1958.
Figura 1

Agora já sabes responder.
1. Refere quais eram as dificuldades que provocaram o desespero da pequena e média burguesia no pós-guerra. (resposta da Luísa Pires, nº 18 do 9º D)
As grandes dificuldades que provocaram este desespero no pós-guerra na pequena e média burguesia, isto é as classes médias, surgiram por causa de uma prosperidade entre 1890 e a 1ª Guerra Mundial que levou à existência de uma necessidade ou desejo de viver bem e de aproveitar os prazeres da vida durante uma época à qual mais tarde chamaram de Belle Époque (época feliz), esta época era para a alta burguesia uma afirmação de poder e de ostentação de riqueza, para as classes médias isto levou-as a alcançarem um melhor nível de vida com o desenvolvimento da industria e dos serviços, cresceu o numero de profissionais liberais e de pequenos e médios empresários, ora com os problemas económico-financeiros e consequentemente sociais do pós-guerra este desejo era quase impossível de se concretizar o que levou a uma instabilidade social. Formaram-se então a partir das classes médias dois novos grupos: Um grupo formado por uma minoria de novos ricos, que era constituído por especuladores, que enriqueceram vendendo produtos, comprados a preços mais baixos, a preços mais caros obtendo assim, lucros elevados aproveitando a subida dos preços; e outro grupo, um novo grupo de pobres, constituído por um grande número de pessoas da classe média que empobreceram com a desvalorização da moeda e com a inflação vertiginosa.

2. Em que consistia a ameaça do "perigo vermelho" sentida pela burguesia. (resposta da Daniela Cordeiro, nº 9 do 9º D).
A ameaça do "perigo vermelho" consistia no risco corrido pela burguesia que perderia os seus bens, nomeadamente quintas, comércio e fábricas, uma vez que o comunismo (perigo vermelho) recomendava que todos os meios de produção deviam pertencer ao estado.

3. A que grupo social aludia o pai da autora ao falar da "escumalha da sociedade". (resposta do Guilherme Barreto, nº 12 do 9º E)
O pai da autora quando refere “escumalha da sociedade”, está a referir-se às classes populares, pois eram as mais atingidas pela crise económica e social do pós guerra. Mostravam um grande descontentamento face à subida do custo de vida e à estagnação dos salários, factores esses que desencadearam alguma agitação social, nomeadamente greves, ocupação de fábricas e de grandes propriedades pelos trabalhadores.

4. A realidade americana para o mesmo período era radicalmente diferente. Qual era? (resposta do Guilherme Barreto, nº 12 do 9º E)
O período pós primeira guerra mundial, levou ao aumento da interdependência económica entre os países, se por um lado aumentava a circulação de bens, por outro em caso de crise, esta seria mundial. Com o inicio da guerra, os países aliados passaram a depender dos Estados Unidos, como fornecedores de capitais e produtos. A dependência económica da Europa, permitiu a prosperidade dos Estados Unidos, e fez com que se tornassem na principal economia do planeta. A produção norte-americana deu um grande salto em vários sectores, destacando-se a indústria bélica, de material de campanha e alimentos. Logo, o aumento da procura estimulava a produção. Assim, perante o equilíbrio existente entre a procura e a oferta, havia a realização de capital, o que permitia à população ter um bom nível económico, passaram a adquirir carros, electrodomésticos, rádio e telefone.
Logo, podemos referir que realidade americana era completamente diferente da vivida na Europa do pós guerra, onde a crise económica e a agitação social se faziam sentir.

5. Observa a figura. Indica como ficaram conhecidas as mulheres representadas na figura 1. (resposta da Maria Leonor Sousa, nº 20 9º D)
As mulheres representadas na figura 1 ficaram conhecidas como sufragistas.

6. Refere o que elas pretendiam. (resposta do Eduardo Gomes, nº 11 do 9º D)
Este novo movimento incorporou sem dúvida a nova imagem e o novo papel social da mulher nesta nova sociedade em presente convulsão. Em traços gerais podemos caracterizar pela maneira de vestir, tornando-se mais solta e deixando de lado a versão espartilho que sempre a caracterizou. Neste momento da história a mulher vai “sair” de casa para trabalhar, outro factor impensável e completamente condenado uma vez que uma senhora deveria estar resguardada dessas lides. Contudo a sua grande conquista foi materializada com o direito ao voto e à educação. Estas ganharam direito à expressão da sua vontade política e social o que possibilitou que ganhassem um enorme peso social e como tal contribuíram para uma voz activa na luta de ideais. Todavia não podemos pensar que todas estas conquistas foram feitas de forma pacífica. Recordemos que até esta data a imagem da mulher estava consagrada à família e ao bem-estar dos outros. Foi preciso muitos movimentos com eventuais perseguições para que o seu papel estivesse bem definido juntos dos principais meios sociais da época.



Figura 2. Modelo T dos anos vinte

36 comentários:

Soraia Carvalho nº27 9ºD disse...

1. Descontentamento popular;
Dificuldades económicas;
Desorganização social;
Ideias revolucionárias;
Revoltas contra a guerra;
Revoltas contra o governo, patrões, proprietários, comerciantes;
Salários Altos;
Baixo custo de vida;
Bem- estar social;
Abolição de pobreza e do medo.

2. O "perigo vermelho", consistia no alarmamento das classes médias em relação ao receio do alastramento da revolução soviética.

3. O grupo social a que o pai da autora pretencia, era ao povo.

4. Na América a realidade era bem diferente, pois estes tinham mais problemas económicos- financeiros.

5. As mulheres representadas na figura 1, ficaram conhecidas por "sufragistas".

6. O que as elas pretendiam era ter direito ao voto e queriam ter um novo papel na sociedade.

Ana Marta Nunes 9º E disse...

1 - Após a 2ª Guerra Mundial, a burguesia foi grandemente afectada pelas dificuldades económicas que se instalaram, tendo o custo de vida na Europa aumentado exponencialmente, bem como toda a desorganização social que adveio dessa situação (surgimento de ideias revolucionarias), etc.

2 - A ameaça do "perigo vermelho" consistia no Comunismo.

3 - O pai da autora referia-se ao povo.

4 - Enquanto que o continente Europeu ficou em ruínas após a 2ª Guerra Mundial, os E.U.A prosperaram, desfrutando os seus habitantes de um bem estar geral através de um baixo custo de vida (precisamente o oposto do que se verificava na Europa), tendo a economia do país conseguido ultrapassar completamente a depressão dos anos 30, continuando num crescimento progressivo após a 2ª grande Guerra.

5 - As mulheres representadas na figura 1 eram chamadas de "sufragistas"

6 - As sufragistas lutavam para adquirir o direito de voto para as mulheres, lutando por uma mudança na sociedade, procurando igualdade de direito entre as mulheres e os homens.

Hugo Martins 9ºD nº13 disse...

1. Apos a belle époque veio a guerra o que fez os preços subirem cada vez mais e o nível de vida que até então tinha vindo a subir caio drasticamente, se o nível de vida cai os salários diminuem fazendo com que o poder de compra diminuísse assim as trocas comercias foram bastante abaladas assim como as pessoas que viviam dela(media e pequena burguesia).

2.O "perigo vermelho" foi a expressão que muitos políticos usaram para designar uma possível ameaça do comunismo chegar ao poder e por consequente as suas medidas entrarem em função.
Das quais se destacam:
# equisição de cereais;
# suspensão de todas as liberdades;
# censura à imprensa
# nacionalização de todos os bancos, fábricas e terras
# decreto do trabalho obrigatório
# requisição da produção agrícola
# comércio por troca directa
# direção do país tomada pelo partido comunista.
# Reforma Agrária
# Fim da Propriedade Privada
# Combate à fome
# Congelamento de preços e salários
# Centralismo democrático

3. O pai da autora referia-se aos comunistas como a escumalha da sociedade.

4. A realidade americana era totalmente diferente na medida em que eles tinham um nível de vida elevado,produção em série, grandes salários a tal ponto que o nível de riqueza de uma determinada família deixava de ser a quantidade e qualidade da comida até então ingerida a passar a ser o numero de carros por menbro da familia.

5.Ficaram conhecidas como as sufragistas isto é faziam parte de um movimento social, político e económico de reforma, com o objectivo de estender o sufrágio (o direito de votar) às mulheres, estas provocavam intessionalmente a autoridade com a intenção de levantar processos e faziam greves de fome.

6.Pretenderão que elas(mulheres pudessem votar livremente.

Carolina Rodrigues 9ºE disse...

A mudança nos costumes

1. As dificuldades da pequena e média burguesia no pós-guerra eram os salários baixos, as más condições de vida, dificuldades económicas, a desorganização social, o surgimento de ideias revolucionárias, o aumento do custo de vida e as revoltas contra os grandes proprietários.

2.

3. À burguesia

4.O aumento do poder de compra, o baixo custo de vida, os salários altos, o bem-estar e abolir a pobreza e o desemprego.

5. Ficaram conhecidas como sufragistas.

6.Elas lutavam pelo direito de voto, por mudanças na sociedade e pela igualdade de direitos

Anónimo disse...

1)As dificuldades que provocaram o desespero da pequena e média burguesia no pós-guerra eram as económicas, sociais, o aparecimento de novas ideias revolucionárias chamadas comunistas, o custo de vida aumentou e havi uma grande revolta contra os grandes propriatários.
2)Era a ameaça que se instalasse em Portugal o comunismo que era contra os grandes propriatários,patrões...
3)Era ao povo.
4)Na realidade americana houve um aumento no poder de compra, baixo custo de vida, salários altos, toda a gente vivia bem, a abolição da pobreza e do desemprego e o automóvel era acessível a todos, até em exagero.
5)Ficaram conheçidas como sufragistas, lutavam pelo direito de voto.
6)Elas lutavam pela igualdade de direitos, por mudanças na sociadade e pelo direito de voto.


Pedro Almeida Nº25 9ºE

Anónimo disse...

1)As dificuldades que provocaram o desespero da pequena e média burguesia no pós-guerra eram:
-económicas
-sociais
-aparecimento de novas ideias revolucionárias chamadas comunistas
-o custo de vida aumentou
-havia uma grande revolta contra os grandes propriatários.
2)A ameaça de que tinham medo era que se instalasse em Portugal o comunismo, pois estes lutavam contra os grandes propriatários,patrões...
3)Era ao povo.
4)Na realidade americana houve:
-um aumento no poder de compra
-baixo custo de vida
-salários altos
-toda a gente vivia bem
-abolição da pobreza e do desemprego
-o automóvel-cada familia possuia varios carros, que era um exagero.
5)Ficaram conhecidas como sufragistas, lutavam pelo direito de voto.
6)Elas lutavam pela:
-igualdade de direitos
-mudanças na sociadade
-pelo direito de voto.

João Almeida nº17 9ºE

Anónimo disse...

João Alves, nº 16
1.As dificuldades de que o autor do documento fala são económicas, nomeadamente o aumento do custo de vida, visto que as fábricas e os campos agrícolas estavam destruídos, aumentando o preço dos produtos enquanto que o salário diminuía.
2.A ameaça do “perigo vermelho” era a ameaça comunista. O autor tinha receio de que houvesse uma revolução comunista no nosso país. O autor tinha receio disso porque se cá acontecesse o mesmo do que na Rússia, a burguesia perderia as terras e as fábricas para o Estado, tornando a vida ainda mais difícil para o autor.
3.O autor, ao referir a escumalha da sociedade, quer fazer alusão aos comunistas, que viviam nos “confins da terra” (Rússia).
4.Na América, a realidade era totalmente diferente. Viviam-se “os loucos anos 20”. Houve um grande aumento do poder de compra, devido ao aumento dos salários e à diminuição do custo de vida. Contrastando com a realidade europeia, essa foi à altura da criação do sonho americano: Abolição do desemprego e da pobreza. Foi também durante essa altura que se realizavam as festas à noite e quando se começou a ter o prazer pela vida e a alegria de viver.
5.Às mulheres representadas na figura deu-se o nome de sufragistas.
6.O objectivo das sufragistas era conseguirem que a mulher tivesse o direito de voto.

Anónimo disse...

1.As dificuldades que provocaram o desespero da pequena e média burguesia foi a desvalorização da moeda e a inflação vertiginosa.
2.A ameaça do perigo vermelho sentida pela burguesia consistia na revolução soviética.
3.O pai da autora ao falar da escumalha da sociedade estava a falar das classes médias.
4.A América era diferente da europa nesse mesmo período pois tinha aumentado o poder de compra;o baixo custo de vida;o automóvel(o símbolo da vida amerciana);salários altos;abolir a pobreza e o desemprego.
5.As mulheres na figura 1 ficaram conhecidas como sufragistas.
6.Elas pretendiam ter o direito de voto;lutaram por mudanças na sociedade;;lutaram pela igualdade de direitos e os loucos anos 20.
Trabalho realizado por:
RICARDO SANTOS Nº26 9ºE

Bruna Calado 9ºE disse...

1.Eram as dificuldades económicas, a desorganização social, surgem as ideias comunistas, o custo de vida aumenta e há revoltas contra os grandes proprietários, governos e patrões.

2. O "perigo vermelho" era uma nova revolução feita pelas classes mais baixas da sociedade, o povo.

3. O pai da autora referia-se ao povo.

4. Nos Estados Unidos da América viviam uma realidade muito diferente no período pós-guerra, o aumento do poder de compra aumentou, havia mais automóveis, o custo de vida diminuiu, os salários ficaram mais altos, havia bem-estar e a pobreza e o desemprego acabaram.

5. As mulheres da figura 1 ficaram conhecidas como as sufragistas.

6. Elas pretendiam o direito de voto, mudanças na sociedade e a igualdade de direitos.

Luísa Pires disse...

7º tpc de história Luísa Pires 9ºD
1. As grandes dificuldades que provocaram este desespero no pós-guerra na pequena e média burguesia, isto é as classes médias, surgiram por causa de uma prosperidade entre 1890 e a 1ª Guerra Mundial que levou à existência de uma necessidade ou desejo de viver bem e de aproveitar os prazeres da vida durante uma época à qual mais tarde chamaram de Belle Époque (época feliz), esta época era para a alta burguesia uma afirmação de poder e de ostentação de riqueza, para as classes médias isto levou-as a alcançarem um melhor nível de vida com o desenvolvimento da industria e dos serviços, cresceu o numero de profissionais liberais e de pequenos e médios empresários, ora com os problemas económico-financeiros e consequentemente sociais do pós-guerra este desejo era quase impossível de se concretizar o que levou a uma instabilidade social. Formaram-se então a partir das classes médias dois novos grupos: Um grupo formado por uma minoria de novos ricos, que era constituído por especuladores, que enriqueceram vendendo produtos, comprados a preços mais baixos, a preços mais caros obtendo assim, lucros elevados aproveitando a subida dos preços; e outro grupo, um novo grupo de pobres, constituído por um grande número de pessoas da classe média que empobreceram com a desvalorização da moeda e com a inflação vertiginosa.
2. A ameaça do “perigo vermelho” sentido pela burguesia surgira com o descontentamento das classes populares causado pela subida dos preços, consequentemente o operariado intensificou as suas lutas, formaram-se grandes organizações sindicais com milhões de associados que mobilizavam manifestações e greves gigantescas, o receio do alastramento da revolução soviética, baseada no comunismo que se opunha ao capitalismo do qual vivia a burguesia, aumentava entre as classes médias levando muitos burgueses a aderir aos partidos conservadores.
3. O pai da autora referia-se às classes sociais mais pobres e mais baixas descontentes e revoltadas com a subida dos preços e aumento da pobreza - as classes populares - de onde iria surgir uma revolução – revolução tipo alastramento da revolução soviética.
4. A realidade que permanecia na América era uma realidade completamente diferente da que se vivia na Europa. Esta realidade vivida na América baseava-se essencialmente num bem-estar social o qual já não se media pela alimentação mas pelo número de carros que cada família possuía e que foi causado por variados factores como a diminuição do custo de vida, aumento dos salários e do poder de consumo o isto tudo levou à aproximação do ideal de abolir da vida dos homens e das mulheres, a pobreza e o medo, a situação vivida na América era portanto uma situação de elevada prosperidade.
5. Com a substituição dos homens pelas mulheres em muitas actividades profissionais durante a guerra estas mantiveram-se nos mesmos postos durante o pós-guerra começando assim a libertarem-se da situação de dependência em relação ao homem, quer na família quer na sociedade surgiram assim as Sufragistas, eram portanto um grande grupo de mulheres que lutavam pela igualdade de direitos em relação ao homem essencialmente em termos sociais e familiares deixando de depender dos homens.
6. As sufragistas pretendiam transformar o papel da mulher obtendo direitos iguais aos dos homens (por exemplo o direito ao voto), para isso realizaram os movimentos femininistas, em Inglaterra realizaram conferências, invadiram o partido liberal com cartazes como o da imagem, realizaram manifestações e durante o seu decurso insultaram e atacaram os policiais de modo a provocarem o levantamento de processos, na prisão adoptaram a técnica de greve de fome, recolheram fundos comoveram a opinião pública de tal modo que em 1907 já havia duzentos membros do Parlamento favoráveis ao sufrágio feminino.

Maria Ana Borges disse...

1. A pequena e média burguesia encontrava-se desesperada no pós-guerra porque se viu obrigada a recorrer ao capital que havia amealhado para viver, achando que a humanidade estava condenada á ruína.

2. A burguesia sentia a ameaça do perigo vermelho, porque nao tardaria que dos confins da terra e da escumalha da sociedade se levantasse uma nova barbárie.

3. O pai da autora referia-se aos operários, camponeses e soldados que representavam um novo tipo de Estado.

4. Era a supermacia económica e financeira sobre a Europa, Incremento da produção, fordismo e taylorismo.

5. As mulheres ficaram conhecida pelas sufragistas.

6. As mulheres pretendiam o direito ao voto sem distinção de raça, sexo etc.

David Morais Oliveira Nº10 9ºD disse...

1. As dificuldades que provocaram o desespero da pequena e média burguesia no pós-guerra foram na Europa:
-Descontentamento popular.
-Dificuldades económicas.
-Desorganização social.
-Ideias revolucionárias.
-Revoltas contra o governo, patrões, proprietários e comerciantes.
Nos EUA:
-Aumento do poder de consumo, devido aos altos salários.
-Surje a industria automóvel.
-Baixos custos de vida.
-Bem estar social.
-Fim da pobreza e do medo.

2. Consistia no medo que a burguesia tinha de que a revolução que estava a acontecer na Russia e que estava a ter resultados positivos se pudesse alastrar ao resto do mundo fazendo com que os burgueses perdessem muitos dos seus privilégios e regalias.

3. Era o proletariado que eram trabalhadores do povo revolucionários.

4. Os EUA encontravam-se numa fase de grande prosperidade porque não foram atingidos pela guerra no seu territorio e por isso tornarm-se fornecedores da Europa.Criaram novas formas de trabalho que por ter sucesso passou a ser utilizado noutros países.


5. As mulheres representadas na figura 1 ficaram conhecidas por sufragistas.

6. Pretendiam o direito ao voto para todos sem distinção da raça ou do sexo.

Andre Aquino nº4 9ºE disse...

1.As principais dificuldades eram:
-Salários baixos;
-Mas condições de vida;
-Desorganização social;
-Surgimento de novas ideias revolucionarias;
-Aumento do custo de vida.

2.Stor nao estava mesmo a encontrar o que e o perigo vermelho andei mais de 2 horas à procura mas pela logica acho que e isto.
A ameaça do perigo vermelho sentida pela burguesia acho que era o medo que eles tinham que a bolsa rebentasse devido as dificuldades economicas europeias o que veio a acontecer mais tarde e que gerou o caos total.

3.O pai da autora refere-se ao povo.
O seu pai burguês sentia-se ameaçado devido a grande ruptura económica.

4.Na america o custo de vida era baixo as pessoas viviam bem havia bem estar social toda a gente possuia grandes carros existiam altos salarios e a pobreza e o desemprego estavam abolidos mas esta boa vida so se vai manter ate a grande ruptura da bolsa americana que gera o caos mundial.

5.As mulheres representadas na fig.1 ficaram conhecidas como sufragistas

6.Pretendia ter direito ao voto, haver igualdade de direitos entre a sociedade(homens e mulheres) e as mudanças na sociedade.

bernardo afonso nº 6 9ºD disse...

1- As dificuldades que provocaram o desespero da parte da pequena e media burguesia no pós-guerra foram dificuldades económicas.

2- A ameaça do perigo vermelho consistia na ameaça do comunismo chegar ao poder.

3- Fazia parte da media burguesia.

4- Era o rapido crescimento do poder, o bem estar social, salários altos e diminuição da pobreza e do desemprego.

5- Essas mulheres ficaram conhecidas como sufragistas.

6- As mulheres(sufragistas) pretendiam ter o direito ao voto (sufragio).

Anónimo disse...

respostas de Mafalda Teixeira 9ºE

1. Após a guerra as classes médias tiveram muita dificuldade,os especuladores acumolaram muito dinheiro, o que fez com que muita gente empobrecesse com a desvalorização da moeda e a inflação vertiginosa.

2.

3. O pai da autora pretencia à burguesia.

4. Na america a vida das pessoas era muito melhor que na Europa, havia muito mais poder de compra.

5. As mulheres representadas na figura 1 ficaram conhecidas como sufragistas.

6. Essas mulheres pretendiam ter os mesmos direitos que o homem.

Adriana Leitão disse...

1- O desespero da pequena e média burguesia no pós-guerra foi provocado devido à desorganização social, devido às dificuldades económicas que se sentiam na altura e também devido às ideas revolucionárias e ao elevado custo de vida. Todos estes factores provocam um descontentamento social e inúmeras revoltas contra o governo, patrões, proprietários e comerciantes.
2- A ameaça do "perigo vermelho" sentida pela burguesia consistia numa possível ameaça do comunismo (regime político, económico e social caracterizado pela comunhão dos meios de produção e bens de consumo e pela ausência da propriedade privada chegar ao poder), ou seja, seriam retirados aos burgueses os seus bens de sobrevivência, o que poderia pôr em causa a mesma.
3- Ao falar da "escumalha da sociedade" o pai da autora referia-se à classe social à qual pertencia o povo.
4- Ao contrário da instabilidade social da Europa no periodo pós-guerra, nos E.U.A. predominava uma sociedade de bem-estar, de prazer pela vida. Neste país americano o poder de consumo aumentava cada vez mais, o bem-estar social media-se pela quantidade de carros que cada família possuía. Os salários eram mais elevados e a pobreza e o medo do desemprego já não existiam. Radicalmente diferente do continente europeu, os E.U.A. desfrutavam de um elevado bem-estar social.
5- Na presente figura, as mulheres ficaram conhecidas por Sufragistas.
6- As mulheres lutavam pela igualdade de direitos, prentendendo ter direito ao voto e obter um novo papel na sociedade, libertando-se da situação de dependência relativamente ao homem, quer na família, quer na sociedade em geral.

Guilherme disse...

1 - Após a 1ª guerra, a Europa viu-se perante uma crise económica e social. A pequena e média burguesia foram das classes mais atingidas com algumas situações que lhe provocaram algum desespero, nomeadamente, o desemprego, a desvalorização da moeda e a inflação.

2 - O “perigo vermelho” foi a expressão utilizada para designar uma possível ameaça do comunismo chegar ao poder. A burguesia sentia-se ameaçada porque receava a implementação do sistema comunista, pois esta ideologia promovia uma sociedade com os mesmos direitos entre si, sem classes, baseada na propriedade comum e no controle dos meios de produção e da propriedade em geral. Teoria que não agradava à burguesia, detentora de alguma riqueza e poder, levando-os a aderir aos partidos conservadores.

3 - O pai da autora quando refere “escumalha da sociedade”, está a referir-se às classes populares, pois eram as mais atingidas pela crise económica e social do pós guerra. Mostravam um grande descontentamento face à subida do custo de vida e à estagnação dos salários, factores esses que desencadearam alguma agitação social, nomeadamente greves, ocupação de fábricas e de grandes propriedades pelos trabalhadores.

4 - O período pós primeira guerra mundial, levou ao aumento da interdependência económica entre os países, se por um lado aumentava a circulação de bens, por outro em caso de crise, esta seria mundial. Com o inicio da guerra, os países aliados passaram a depender dos Estados Unidos, como fornecedores de capitais e produtos. A dependência económica da Europa, permitiu a prosperidade dos Estados Unidos, e fez com que se tornassem na principal economia do planeta. A produção norte-americana deu um grande salto em vários sectores, destacando-se a indústria bélica, de material de campanha e alimentos. Logo, o aumento da procura estimulava a produção. Assim, perante o equilíbrio existente entre a procura e a oferta, havia a realização de capital, o que permitia à população ter um bom nível económico, passaram a adquirir carros, electrodomésticos, rádio e telefone.
Logo, podemos referir que realidade americana era completamente diferente da vivida na Europa do pós guerra, onde a crise económica e a agitação social se faziam sentir.

5 - Estas mulheres eram conhecidas por sufragistas. Sufragista é um termo mais geral para os membros dos movimentos de sufrágio, seja radical ou conservador, masculino ou feminino. Activistas americanos preferiram este título mais abrangente, enquanto os americanos hostis ao sufrágio feminino usado sufragista.

6 - O movimento das Sufragistas pretendia a igualdade de direitos das mulheres intervirem na política activa, e sobretudo o direito ao voto. Este movimento teve início na América pós-revolucionária. As mulheres americanas intervinham cada vez mais na vida pública, ganhando uma projecção superior à das mulheres europeias.

Guilherme Flores Barreto
Nº12 9ºE
Escola Secundária da Portela

Anónimo disse...

1. As dificuldades que provocaram o desespero da pequena e média burguesia no pós-guerra eram:
- Desvalorização da moeda
- Diminuição do poder de compra
- Dificuldades Económicas ( Salários baixos ; Más condições de vida )
- Desorganização Social.
- Surgem ideias comunistas.
- O Custo de vida aumentou.
- Há revoltas contra os grandes proprietários.


2. A ameaça do "perigo vermelho" consistia na mudança do sistema capitalista para o sistema comunista/socialista.
Capitalismo é o trabalho para o bem próprio, comunismo é trabalhar para o bem geral, trabalhar para o estado para o bem comum.


3. O pai da autora quando se referiu a " escumalha da sociedade " estava a referir-se ao povo comunista.

4. A realidade americana era muito diferente:
- O poder de compra aumentou.
- O automóvel.
- O custo de vida diminui.
- Os salários eram altos.
- Havia um bem-estar geral.


5. As Mulheres ficaram conhecidas como " sufragistas ".

6. As mulheres lutavam pelo direito de voto e pela igualdade de direitos.

André Santos nº3 9ºE

catarina afonso 9E disse...

1- Eram as dificuldades economicas.
2-não percebi
3-O pai da autora ludia ás classes médias
4-Apesar da retoma economica, que se fez sentir em meados dos anos 20, a Europa continuo longe da sociedade de bem-estar que triunfava na América
5-Ficaram conhecidas como sufragistas .

6-Durante a guerra ,a s mulheres tinham substituido os homens em muitas actividades profissionais, nos anos 20 conseraram parte desses postos de trabalho e começaram a libertar-se da sua situação de dependência em relação aos homens quer na familia quer na sociadade.As mulheres lutaram pela igualdade de direitos , conseguindo em muitos paises o direito de voto elas nesta imagem pretendiam o direito de voto.

Joana Frade 9E disse...

1. Refere quais eram as dificuldades que provocaram o desespero da pequena e média burguesia no pós-guerra.
R: As dificuldades que provocaram o desespero foram os salários baixos e más condições de vida (dificuldades económicas), a desorganização social e o aumento do custo de vida.

2. Em que consistia a ameaça do "perigo vermelho" sentida pela burguesia.

R: O perigo vermelho consistia no alastramento da revolução soviética, o que levou muitos burgueses a aderir aos partidos conservadores.
3. A que grupo social aludia o pai da autora ao falar da "escumalha da sociedade".
R: O pai da autora referia-se ao Governo, grandes e pequenos comerciantes e patrões.

4. A realidade americana para o mesmo período era radicalmente diferente. Qual era?
R: Nos EUA, a realidade era bastante diferente da vivida na Europa. Houve um aumento do poder de compra, o custo de vida era baixo e os salários altos, havia um bem-estar generalizado e a pobreza e o desemprego abolidos. O automóvel foi o símbolo de riqueza da altura, sendo assim um veículo muito utilizado.
5. Observa a figura. Indica como ficaram conhecidas as mulheres representadas na figura 1.
R: As mulheres da figura ficaram conhecidas por sufragistas.

6. Refere o que elas pretendiam.
R: Com estas revoluções, as mulheres lutavam pelo direito de voto, por mudanças na sociedade e pela igualdade de direitos.

Joana Frade 9E disse...

1. Refere quais eram as dificuldades que provocaram o desespero da pequena e média burguesia no pós-guerra.
R: As dificuldades que provocaram o desespero foram os salários baixos e más condições de vida (dificuldades económicas), a desorganização social e o aumento do custo de vida.

2. Em que consistia a ameaça do "perigo vermelho" sentida pela burguesia.

R: O perigo vermelho consistia no alastramento da revolução soviética, o que levou muitos burgueses a aderir aos partidos conservadores.
3. A que grupo social aludia o pai da autora ao falar da "escumalha da sociedade".
R: O pai da autora referia-se ao Governo, grandes e pequenos comerciantes e patrões.

4. A realidade americana para o mesmo período era radicalmente diferente. Qual era?
R: Nos EUA, a realidade era bastante diferente da vivida na Europa. Houve um aumento do poder de compra, o custo de vida era baixo e os salários altos, havia um bem-estar generalizado e a pobreza e o desemprego abolidos. O automóvel foi o símbolo de riqueza da altura, sendo assim um veículo muito utilizado.
5. Observa a figura. Indica como ficaram conhecidas as mulheres representadas na figura 1.
R: As mulheres da figura ficaram conhecidas por sufragistas.

6. Refere o que elas pretendiam.
R: Com estas revoluções, as mulheres lutavam pelo direito de voto, por mudanças na sociedade e pela igualdade de direitos.

Rui Graça Nº28 9ºE disse...

1- As dificuldades eram o aumento do custo de vida, a desvalorização da moeda, uma inflação alta, a desorganização social, e dificuldades económicas.

2- A ameaça do "perigo vermelho" consistia no comunismo.

3- O pai da autora refere-se ao povo.

4- Nos EUA a vida corria muito melhor para as pessoas pois tinha havido um aumento do poder, havia um baixo custo de vida, os salários eram altos, o sector automóvel era desenvolvido e o objectivo era abolir a pobreza e o desemprego.

5- Elas ficaram conhecidas como sufragistas.

6- Elas queriam principalmente o poder de escolher os seus governantes tendo o direito ao voto como os homens.

mario disse...

1. As dificuldades que provocaram o desespero da burguesia, foram as dificuldades económicas (a burguesia era quem possuía as empresas), desorganização social, aumento do custo de vida.
2. A ameaça sentida pela burguesia apelidada de “perigo vermelho” era as ideias comunistas da URSS.
3. O pai da autora perecia a burguesia pois a escumalha da sociedade eram as pessoas que tinham pensamentos comunistas.
4. Na América o poder de compra subia, o automóvel tornara-se um símbolo de poder, havia um baixo custo de vida, pois os salários eram baixos, e tinham por objectivo abolir a pobreza e o desemprego.
5. As mulheres da figura ficaram conhecidas por sufragistas.
6.Elas reivindicaram o direito ao sufrágio (voto).

Mara Domingues Nº19 9ºD disse...

1. A pequena e média burguesia eram afectadas pela diminuição do poder de compra, os salários tornaram-se mais baixos, houve uma desvalorização da moeda e um grande número de pessoas empobreceu devido ao défice financeiro.Isto causava o descontentamento popular e por sua vez revoltas contra o governo, proprietários, patrões e comerciantes.
2. A ameaça do perigo vermelho era o comunismo. Este era encarado como uma das soluções para o fim da crise.
3. Referia-se à alta burguesia.
4. Na América vivia-se uma epóca próspera. Havia um grande poder de consumo, os salários eram altos, o custo de vida era baixo, havia bem estar social, quase todas as famílias possuiam um automóvel e os americanos viviam sem medo da pobreza e do desemprego.
5. Ficaram conhecidas como sufragistas.
6. Pretendiam igualar os direitos entre homens e mulheres, sendo um deles o direito de voto. Ambcionavam um novo papel na sociedade.

tiago rocha nº29 9º D disse...

1- após a gurra surgio a ansia e o desejo de gozar a vida muito para esquecer o pesadelo do conflito.
Muitas familias desagregaram-se aumentou o numero de divorcios e a autoridade familiar começou a diminuir esta instabilidade contribuiu para que a mulher se tornasse mais independente a nivel social.

2-o perigo vermelho consistia na revoluçao social que leveria o mundo ao caos.

3- a escumalha da sociedade eram os jovens burgueses que procuravam os prazeres da vida e o divertimento.

4- O mesmo periodo era diferente porque a burguesia era de tal maneira conservadora que conseguio convenser o governo a impor a lei sca era uma lei que poribia em todo o pais a venda de bebidas alcoolicas.

5- as mulheres representadas na figur a ficaram conhecidas como as raprigas bem comportadas.

6 - Aquelas mulheres queriam ter votos , pediam votos para a mulher , queriam que a mulher tivesse poder no governo.

Anónimo disse...

1. As dificuldades foram a desorganização social, o aumento do custo de vida e as dificuldades económicas porque era a burguesia que possuía empresas.

2.O perigo vermelho era as ideias comunistas da URSS.

3. O pai da autora perecia a burguesia, pois a escumalha da sociedade eram as pessoas que tinham pensamentos comunistas.

4.Na América o poder de compra subia, o automóvel tornara-se um símbolo de poder, havia um baixo custo de vida, pois os salários eram baixos, e tinham por objectivo abolir a pobreza e o desemprego.

5. As mulheres da imagem ficaram conhecidas como sufragistas.

6. As mulheres pretendiam o direito de voto.

Rita Lopes, nº27 9ºE

Ana Margarida Carvalho Nº2 9ºD disse...

1.As dificuldades que provocaram o desespero da pequena e média burguesia no pós-guerra foram as dificuldades ecnomicas, desorganização social, ideias revolucionárias, revoltas contra o governo, patrões, propietários e comerciantes e o descontentamento popular.

2.A ameaça do "perigo vermelho" sentida pela burguesia era a revolução soviética.

3.

4.A realidade americana era o poder de consumo, salários altos, baixo custo de vida, bem - estar social e a abolição da pobreza e do medo.

5.Esta mulheres ficaram conhecidas como as sufragistas.

6.Elas queriam ter o direito ao voto e queriam ter um novo papel na sociedade.

Daniela Cordeiro, 9ºD disse...

Respostas de Daniela Cordeiro, Nº9, 9ºD:

1- O desespero da pequena e média burguesia no pós-guerra foi provocado pelas dificuldades económicas que se sentiam devido à desorganização social, às ideias revolucionárias e ao elevado custo de vida, tudo isto provocou o descontentamento popular e revoltas contra o governo, patrões, proprietários e comerciantes.

2- A ameaça do "perigo vermelho" consistia no risco corrido pela burguesia que perderia os seus bens, nomeadamente quintas, comércio e fábricas, uma vez que o comunismo(perigo vermelho) recomendava que todos os meios de produção deviam pertencer ao estado.

3- O pai da autora ao falar da "escumalha da sociedade" referia-se aos operários e camponeses(povo) que eram os principais defensores das ideias comunistas e seriam eles a liderar o processo revolucionário.

4- Ao contrário da instabilidade social da Europa no período pós-guerra, os EUA no mesmo período tinham uma sociedade de bem-estar. Nos EUA o poder de consumo estava a aumentar, o bem-estar social media-se pela quantidade de carros que cada família tinha na garagem, os salários eram mais altos, a pobreza e o medo do desemprego tinham sido abolidos, os Estados Unidos da América desfrutavam de um elevado bem-estar social.

5- As mulheres representadas na figura 1 ficaram conhecidas por sufragistas.

6- As sufragistas lutavam pela igualdade de direitos e pretendiam ter direito ao voto e obter um novo papel na sociedade, libertando-se da sua situação de dependência em relação ao homem, quer na família quer na sociedade.

ZeR'0 disse...

1. As dificuldades que provocaram o desespero da pequena e média burguesia foram as dificuldades económicas devido ao défice da balança comercial porque se continuava a importar mais do que se exportava, o descontentamento social porque alguns bancos foram à falência e muitas pequenas e médias empresas atravessavam serias dificuldades e a desorganização social.

2. A ameaça do "perigo vermelho" consistia numa ameaça comunista que defendia a monarquia, ou seja, foi estabelecida a censura à imprensa e alguns dos presos políticos foram condenados a penas de degredo para as colónias. Ora, como a burguesia defendia a ideologia republicana, geralmente mais liberal que a monárquica, temia os monarquicos devido às suas tentativas de governar numa ditadura.

3. O pai da autora referia-se aos comunistas.

4. Enquanto que na Europa se vivia num período de descontentamento popular, dificuldades económicas, desorganização social, ideias revolucionarias e revoltas contra o governo, patrões, proletariado e comerciantes, nos EUA vivia-se num período de um grande poder de consumo devido aos salários altos e ao baixo custo de vida, havia um bem estar social e não havia pobreza nem medo, neste mesmo período era também muito importante o facto de se ter um automóvel, o que levou a um grande consumo deste tipo de bens, facilitado também pelos ponto já a cima referido, os altos salários.

5. As mulheres ficaram conhecidas como as sufragistas.

6. Elas pretendiam lutar pela igualdade de direitos, nomeadamente o direito de voto, queriam ser independentes e ganhar o seu próprio dinheiro sem estar à espera que o chefe de família [homem] a sustente. Lutavam também para conseguir desempenhar um novo papel na sociedade começando assim a trabalhar.

Anónimo disse...

1.
As dificuldades que provocaram o desespero da pequena e média burguesia no pós-guerra foram o impedimento de os homens arranjarem emprego pois as mulheres tinham-nos substituído nas suas funções laborais enquanto estes combatiam na I Guerra Mundial, as dificuldades económicas devido ao custo de vida alto e os salários baixos, o que gerou descontentamento social que por sua vez originaram as revoltas contra o Governo, patrões, proprietários e comerciantes.

2.
A ameaça do “perigo vermelho” sentida pela burguesia era o receio da influência da Revolução Soviética alastrar-se pelo país através do Comunismo.

3.
A ‘‘escumalha da sociedade’’ a que aludia o pai da autora era o povo

4.
No continente americano a realidade vivida era diferente pois o poder de consumo era elevado, havia altos salários e baixo custo de vida, a economia estava positiva devido ao fabrico do automóvel e havia o desejo de abolir o medo e a pobreza.

5.
Eram as feministas.

6.
Pretendiam ter direito ao voto, ter um novo papel na sociedade, ter os mesmos direitos que os homens e ser independentes.

Bárbara Sousa 9ºD

Rodrigo Matos disse...

1. As dificuldades que provocaram o desespero da pequena e média burguesia no pós-guerra foram as dificuldades económicas devido à revolta das mulheres devido a quererem trabalhar e os homens quererem os seus trabalhos de volta e as mulheres quererem trabalhar.

2. As ameaças do “perigo vermelho” devido a ameaça das mulheres revoltarem-se contra os homens.

3. O pai da autora fala da média burguesia que é o grupo social que a quem autora fala.

4. A realidade americana para o período era radicalmente diferente que era a revolução das mulheres.

5. As mulheres representadas na figura 1 ficaram conhecidas a grande frase utilizada “votes for women”.

6. Elas pretendiam ter os mesmos direitos dos homens.

Anónimo disse...

1.As dificuldades que provocaram o desespero da pequena e média burguesia no pós-guerra foram: o descontentamento social que originaram revoltas contra o governo, proprieterios e comerciantes; as dificuldades económicas devido aos baixos salários; a desorganização social e as ideias revolucionárias.

2.O "perigo vermelho" sentido pela burguesia consistia na ameça comunista que poderia originar uma revolução.

3.O grupo social que o pai da autora referia no texto era o povo.

4.Na América as pessoas viviam melhor do que nunca, era o país que em toda a História da Humanidade levou mais longe a experiência do bem-estar Humano, estvam muito perto de abolir o medo e a pobreza da vida dos homens e das mulheres. Tinham um grande poder de consumo, havia pelo menos um automóvel por família, os salários eram altos e o custo de vida era muito baixo.

5.As mulheres representadas na figura 1 ficaram conhecidas como sufragistas.

6.O que as sufragistas queriam era abolir as diferenças entre o homem e a mulher, ter os mesmos direitos que o homem, como o de votar e queriam ter outro papel na sociedade.

Maria de Sousa nº20 9ºD

Anónimo disse...

Respostas do Pedro Magalhães
1- As dificuldes eram:
- O aparecimento de novos ricos e de novos pobres
- Acumulação de fortunas
- Grande número de pessoas empobreceu
- Desvalorização da moeda
- Inflação vertiginosa
- O operariado intensificou as suas lutas
- Surgimento de grandes organizações sindicais
2- O operariado intensificou as suas lutas, surgindo as grandes organizações sindicais, mobilizavam greves gigantescas e manifestações. Assim surjiu o pânico entre a burguesia que começa-va a aderir aos partidos conservadores.
3- O pai da autora referia-se ao operariado.
4- A realidade Americana era bastante diferente da Europeia, existia um grande poder de consumo, carros em bastante quantidade, os salários subiram e o custo de vida diminuiu. A América foi o país que levou mais longe a experiência do bem-estar Humano, deixaram de ter medo do desemprego e da pobreza
5- As mulheres representadas na figura 1 ficaram conhecidas como feministas
6- Elas pretendiam a igualdade de direitos, conseguindo em bastantes países o direito ao voto.

Anónimo disse...

Respostas Fernando nº9 9ºE

1-As dificuldades do pós-guerra eram que o mercado estava vazio,as acções tinham caido e não havia ninguém para comerciar.

2-A ameaça consistia na nacionalização de todos os bens o que fazia com todo o dinheiro era para o estado comunista.

3-O grupo social eram os comunistas.

4-os EUA nessa altura estavam a viver os «roaring twenties» em que todas as pessoas tinham dinheiro e investiam na Bolsa para duplicar o seu dineiro.Toda a gente tinha emprego e podiam gastar muito dinheiro.

5-Essas mulheres ficaram conhecidas como sufragistas eram mulheres que queriam que se fizessem reformas no sue pais ou seja dar-lhes mais direitos.

6-Essas mulheres queriam ter direito ao voto,sair à noite,vestir-se de acordo com o que queriam e ter direito a outras profissões.

Eduardo;9ºD, nº11 disse...

1.Nos tempos pós-guerra as classes caracterizadas pela pequena e média burguesia temiam o seu futuro. Assim estes aspiravam a tempos de paz e serenidade na qual pudessem viver de forma tranquila e fazer prosperar os seus pequenos negócios, dado que se viram a braços com a constante desvalorização e o consequente custo de vida.
Desta forma podemos verificar a emergência de uma constante agitação social, temida pelo radicalismo revolucionário de origem soviética, que agitava principalmente os meios mais operários.
Numa tentativa de combater os fortes ideais que grassavam nos meios fabris, a dita classe média tentou na época organizar-se de forma mais conservadora e com uma maior propensão à autoridade.

2.O “perigo vermelho” mencionado no texto refere-se ao movimento radicalista soviético. Este baseava-se sobretudo na luta de classes tão cara a Marx e tão seguida à risca pelos teóricos/económicos russos. Desta forma a crescente concertação social soviética convergia para um crescente peso dos movimentos grevistas e para um reforço das organizações sindicais operárias.

3.O pai da autora do texto ao mencionar a imagem “escumalha” da sociedade referia-se ao dito proletariado, com todas as regras e movimentos que estes criaram de forma radical e com vista a combaterem as autoridades.

4.Se na Europa esta década traria uma reforma profunda a nível social, nos Estados Unidos podemos considerar estes anos como os “Loucos Anos 20”. No espaço americano reinava uma década de prosperidade e de rápido crescimento económico que permitiram a estes a conquista do luxo e do bem-estar, sentimentos de cariz capitalista caracterizados. Esta nova expansão deve-se sobretudo o aumento da procura, tanto interna como externa, reflectindo-se assim num crescimento económico que se traduziu posteriormente num incremento do volume das exportações e numa forte diminuição das taxas de desemprego proporcionada pelo desenvolvimento da indústria.
O crescimento do consumo nos Estados Unidos foi possível por influência directa do aumento salarial e pelo incremento dos rendimentos provenientes da agricultura. Este período ficou conhecido como os “loucos anos 20”, um período em que se cultivava o gosto pela moda, pela música, pelo espectáculo e pelo desporto.

5.Na Figura que ilustra a nova época em que entramos, podemos ver o que se poderá denominar pelo grupo das sufragistas. Ora este conceito nasce do esforço desenvolvido por estas mulheres para conquistar o direito ao voto (o mesmo será proferir sufrágio). Este novo tipo de movimento tinha como público-alvo as mulheres pertencentes ao grupo do operariado e à burguesia.

6.Este novo movimento incorporou sem dúvida a nova imagem e o novo papel social da mulher nesta nova sociedade em presente convulsão. Em traços gerais podemos caracterizar pela maneira de vestir, tornando-se mais solta e deixando de lado a versão espartilho que sempre a caracterizou. Neste momento da história a mulher vai “sair” de casa para trabalhar, outro factor impensável e completamente condenado uma vez que uma senhora deveria estar resguardada dessas lides. Contudo a sua grande conquista foi materializada com o direito ao voto e à educação. Estas ganharam direito à expressão da sua vontade política e social o que possibilitou que ganhassem um enorme peso social e como tal contribuíram para uma voz activa na luta de ideais. Todavia não podemos pensar que todas estas conquistas foram feitas de forma pacífica. Recordemos que até esta data a imagem da mulher estava consagrada à família e ao bem-estar dos outros. Foi preciso muitos movimentos com eventuais perseguições para que o seu papel estivesse bem definido juntos dos principais meios sociais da época.

João Carvalho nº 16 9 disse...

1.Devido à desvalorarisação da moeda e a inflação vertiginosa.

2.O descontentamento popular devido à deficuldade ecnomica que se deve custo de vida estava alto, ao maus salários, isso vai originar revoltas contra o governo, partões, propriatarios e comerciantes.

3.Ele revere-se ao povo.

4.Na América havia poder de comprada devido ao salários altos e assim havia baixo custo de vida as pessoas estam bem socialmente e assim à abolição da pobreza e o medo.

5.Ficaram conhecidas como as sufragistas.

6.Elas queriam direito de voto e querem ter um novo papel na sociadade.

On line



Projecto da responsabilidade de Carlos Jorge Canto Vieira


Seguidores

Hoje na História

Pesquisar neste blogue